Mogador (Essaouira) @ Marrocos

Final de tarde - olhando o infinito

Mal ponho os pés em Mogador, sinto uma lufada de ar oceânico a lamber-me a cara. O vento forte tornou esta praia num dos lugares preferidos para os amantes das ondas e do kyte surf. Há quem chame Essaouira a Meca dos Hippies. Esta é terra de pintores, de liberdade… Para mim, em primeiro lugar, é mais um dos sinais da presença Portuguesa no Norte de África. Não quero com isto dizer que vivo um qualquer sentimento saudosista dessa epopeia quinhentista, nem, de igual forma, justificar as atrocidades que, a mote dos descobrimentos, se foram cometendo mundo fora.

Pôr-do-Sol em Mogador...

Gosto de pensar nessa época como uma época de aventura e de sentimentos. Gosto de imaginar a forma como “conquistámos” a Ásia, com amámos África e como explorámos as Américas. Gosto de imaginar as formas raras e inventivas de comunicação. Que raio, como será que eles se entendiam, sem que falassem a mesma língua, sem que o Inglês pudesse ser a sua ponte?

Ainda é cedo, vamos procurar um local para passar as duas últimas noites, em África.

Olho para este castelo de pedra. Como éramos exímios na arte da defesa. Tantos anos de guerras com os castelhanos apurou-nos o engenho e a arte.

Em 1506, sob as ordens de Diogo de Azambuja, na altura com 70 anos de idade, os portugueses estabeleceram-se aqui e lançaram as primeiras pedras desta muralha imensa, Castelo Real de Mogador. Este pequeno porto teve um papel importantíssimo na protecção das rotas na costa africana, principalmente depois dos portugueses se estabelecerem em Agadir e comercializarem frequentemente com Safi.

Quase nada resta da antiga muralha, apenas a recordação e o nome Mogador a ecoar por entre as ondas agitadas de Essaouira.

Sqala du Port - entrada sul da cidade

Mercado do Peixe, logo pela manhã

vendedores de peixe, acabado de chegar à "lota"

"Time to relax" e repara as redes

Essaouira é terra de pescadores. O porto é a sua praia. Abandonamos o porto, sacudindo o cheiro intenso que se cola à pele. Hoje está um dia agradável, freco, com vento, mas agradável.

Não temos grandes planos: vaguear pela praia, pela medina, ver o pôr-do-sol… enfim, como dizem os italianos, “dolce fare niente”.

Porte de la Marine, mandada construir por Sidi Mohammed ben Abdallah

Circulando a baía, desde a imponente Porte de La Marine, podemos caminhar uns quilómetros ao longo da praia. Assim fizemos. Acompanhámos, ao longe, os preparativos dos KyteSufistas, a engenhosa entrada na água e a agilidade com que manobram o papagaio que descola em direcção ao céus. Aqui esta, digo para os meus botões, um desporto que gostava de experimentar…

Kyte Surf em Mogador

Henna, a ancestral técnica de tatuagem, feita através de tintas naturais.

Chamam a esta cidade, cidade do vento e da luz, que jaz intocada presa a terra, no mar oceânico feroz. Hoje o sol está forte, promete um luz quente ao fim da tarde. Há muito vento também.

Ao longo da praia somos constantemente abordados por marroquinos que tentam negociar: passeios a cavalo, de dromedário, quads, etc… limitamos-nos a calcar pachorrentamente a areia, até que perdemos Essaouira de vista. Deitado nas dunas com o sol a bater na cara e a areia a arranhar a pele, puxada pelo vento, consigo sentir porque tantos se apaixonaram por este pedaço… Jymmy Hendrix, Bob Marley, Orson Wells, etc.

A tarde passou-se a deambular pelos souks, entre óleo de argão, caixas de tuia (uma espécie de cedro), especiarias e muitas traquitanas marroquinas.

Tagines, cinzeiros, pratos... as cores de Marrocos

As previsões confirmaram-se, está uma luz espectacular. Como muitas dezenas de marroquino, também eu assomo à Pl. Moulay El Hassan. Deixo-me ficar ali, durante algumas dezenas de minutos.

Fim de tarde na Praça Moulay El Hassan

 Escolho o ângulo e fotografo. Observo a gente que passa, velhos e novos. Encosto-me à muralha, vendo passar o tempo… o tempo é assim em Mogador, olhando o mar, o infinito. Aqui, há centenas de anos, muitos olharam o mar, outros, poucos, ousaram desafiá-lo, mas nenhum o venceu…

Sqala de la Ville

Pôr-do-sol em Mogador

Localização:

http://maps.google.pt/maps?q=31.51102,-9.772596&num=1&vpsrc=0&ie=UTF8&t=m&ll=31.50158,-9.754658&spn=0.021954,0.025749&z=14&output=embed
Ver mapa maior

Como Chegar:

Mogador é uma cidade pequena, junto à costa e facilmente acessível. A melhor forma, para quem vem de Marraquexe é de autocarro, uma vez que não existe linha de comboios. Na estação de Bab Doukkala existem inúmeras companhias que viajam regularmente para Essaouria. A mais confiável, no entanto, é a CTM. A viagem demora cerca de 2,5h e custa cerca de 7€.

Saiba que, desde Casablanca, de autocarro, são aproximadamente 6 horas.

Para mais informações e dicas, deixe o seu comentário ou contacte-me através de osmeustrilhos@gmail.com

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s