Hoje o meu trilho leva-me ao… “marché du midi”

img_1949_top.jpg 

Os locais adoram este mercado. Disseram-me que é o segundo maior da Europa e na verdade é mesmo grande, daqueles sítios onde uma pessoa se perde entre fruta, legumes, flores, azeitonas, especiarias, etc…

Bruxelas acordou como ela própria, cinzenta e salpicada de quando em vez por umas gotas mais teimosas e ao mesmo tempo geladas. Confesso, eu até gosto de chuva, mas detesto quando ela me surpreende, e infelizmente tem-no feito demasiadas vezes. Começo a perceber porque é que a Bélgica tem a segunda maior taxa de suicídios por ano… não admira, este tempo consegue deprimir até o maior estampado dos sorrisos.

O mercado está alegre, salpica e canta ao som dos pregões que me esforço, em vão, por entender… é muita cultura junta, penso. Podemos encontrar pessoas e produtos de todas as partes. Mas a estes sítios não chegam os “eurocratas” e quando vêm, vêm como eu, às vezes com intenção de comprar, outras de máquina em punho, mas também a necessidade de sentir a multiculturalidade que nos escapa nos gabinetes dos muitos edifícios do european district.

1

Ainda agora esta em Itália, ou seria na Grécia… mas o cheiro que circula transporta-me para locais de mil e uma noites. Estes aromas têm poderes especiais como se tivessem sido feitos por fadas recorrendo a formulas e receitas escondidas ou quem sabe até perdidas no tempo. Tento em vão distingui-los. Caril, cravinho, cominhos… é impossível. Sinto-me invadido por uma espécie de transe poderoso.

1

Eis que não algo me trás de volta à realidade. 2 couves-flor, enormes, por 1€. Isto é mesmo barato, aproveito.

Se há algo capaz de espantar o cinzento do céu e o torpor que sinto nestes dias são as imagens com que me deparo… tapetes de flores, tulipas, das mais diversas cores e feitios. Árvores de fruto, vasos, terras, sementes, cogumelos, enfim um verdadeiro paraíso para um amante da terra. Quem me dera possuir os dons do poeta, a capacidade de com simples palavras ser capaz da mais especial de todas as façanhas, descrever as maravilhas que os olhos não podem ver. Como diz o artista, eu “não passo de um homem vulgar que tem a sorte de saborear” momentos únicos com estes e que me ficaram retidos na memória e no CCD da minha Canon.

1

Se tivesse de caracterizar este mercado utilizaria uma aproximação ainda que arriscada a três “espécies” bem conhecidas: a “feira da ladra”, a “feira de Barcelos” e o mercado das frutas e legumes ao Sábado de manhã. 

1

1

(onde é que andaria a ASAE? :-)

1

1

MAIS FOTOS: http://picasaweb.google.pt/sergiofslopes/Marche_gareDuMidi

Anúncios

One response to “Hoje o meu trilho leva-me ao… “marché du midi”

  1. Pois é…viva o mercado da gare do midi.
    eu também lá estive e valeu a pena.
    A companhia foi do melhor, as compras é q foram poucas.
    Continua a dar conhecimento dos teus passos e a tirar essa fotos lindas-
    O resto tu já sabes…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s